Há 8 meses 0 notas · reblog
“O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.”
~ Albert Einstein.    (via incontavel)

“Se eu demorar, me espera. Se eu te enrolar, me empurra. Se eu te entregar, aceita. Se eu recusar, me surra. Se eu sussurrar, escuta. Se eu balançar, segura. Se eu gaguejar, me entende. Se eu duvidar, me jura. Se eu for só teu, me tenha. Se eu não for, me larga. Se eu te enganar, descobre. Se eu te trair, me flagra. Se eu merecer, me bate. Se eu me mostrar, me veja. Se eu te zoar, me odeia. Mas se eu for bom, me beija!”
~ Projota.     (via incontavel)

“Talvez a felicidade esteja em seguir em frente.”
~ Ele não está tão a fim de você.  (via incontavel)


opinião ignorada com sucesso ✔


“O mal está por toda parte.”
~   A garota da capa vermelha.   (via incontavel)

“Quero poder ficar ao seu lado todas as horas do meu dia, te encher de beijos à cada 5 segundos. Quero poder te abraçar sempre, mesmo sem pedir, te encher de mimos e carinhos. Quero poder olhar em seus olhos e dizer que eles são os mais perfeitos e mais brilhantes que eu já vi, e que eles me transmitem uma paz enorme. Quero me tornar uma completa idiota só pra vê-lo sorrir e te dizer o quanto o seu sorriso é perfeito e que ele me faz sorrir. Quero poder ficar ao seu lado sempre, só pra te dizer e te provar o quanto eu te amo.”
~ Obviously, I love you.  (via incontavel)

“Vontade de te ligar e te xingar de mil coisas. Ou de ir embora sem ter nenhuma intenção de voltar. Só que… Não dá. Quer dizer, eu não tomo remédios contra você. Mas é que eu deveria, entende? Você sempre foi como uma doença. E tudo que envolve você também. Só que eu sempre fui uma criança teimosa, daquelas que ainda vira o rosto pra não tomar remédio. Ou daquelas que gosta de ficar doente pra poder faltar a escola. Deve ser por isso que ainda não consegui me livrar de você. Porque eu sei o que fazer, mas me recuso a tentar.”
~ Cara, você de novo? (via adverbiou)



“Era segunda-feira. Primeiro dia de aula, ela torcia para vê-lo, não aguentava mais aquela angústia horrível, suas amigas ficavam andando de um lado para o outro, e no meio da multidão ela buscava somente ele. Ele ficava a observando de longe, não deixava que ela o visse, se escondia, nunca a perdia de vista. Segundo dia, ela chegou cabisbaixa, triste por não ter o visto no dia anterior, mas continuava na esperança de esbarrar com ele por ai. Ele chegou, olhou sua tabela de horários, em seguida olhou a dela também, passou em frente sua classe, ela estava triste, ele não sabia o porque, ela era sempre tão sorridente. Ela andava aqueles corredores a procura dele, queria vê-lo , ela não conseguia mais ficar sem ver aquele sorriso, ela por um instante conseguiu vê-lo passar rapidamente, ele estava acelerado, não conseguiu prestar muita atenção, ele parecia segurar um papel na mão. Ele por um instante se estremeceu, ela tinha o visto, rapidamente acelerou seus passos, seus olhares não podiam se encontrar em hipótese alguma. O sino da saída toca, ela saí rapidamente, passa em frente a sala dele, mas ja está vazia, ela desisti. Ele escuta o sino e saí rápido, tem que pedir ajuda à alguém, ele saí pelos fundos da escola, e vai na direção de uma garota, aparentemente sua melhor amiga, ele a abraça e depois entrega um papel pra ela, sua amiga abre o papel e não entende nada, ele senta ao lado dela e começa a explicar tudo, ele ama alguém. Como ela havia saído antes, logo se dirige para sua casa que fica na parte de trás da escola, quando passa pelos fundos da escola, de longe ela o vê sentado ao lado de uma menina, por um momento ela se sente fraca, suas pernas parecem tremer, sua visão fica embaçada por alguns segundos, ela decide ir em frente, não poderia ficar parada ali no meio do nada, olhando duas pessoas sentadas, ela vai, abaixa a cabeça e segue em frente. Chega em casa e desmonta em sua cama, passa o dia todo ali, se remoendo por ele não ser seu. Terceiro dia, o despertador toca é hora de encarar mais um dia, mais um dia sem ele, é assim que ela via agora, suas esperanças haviam se esgotado. Ele acorda, contente, nunca tinha se sentido melhor, havia sonhado com ela.. nada o deixava mais feliz, pois somente lá ela o pertencia. Ela não sente fome no intervalo, seu sorriso não é mais o mesmo, ele percebe a diferença,até que por um impulso de emoções ele decide ir falar com ela, e saber o que estava acontecendo, ele queria saber o porque daquela expressão triste no seu rosto, ele achava seu sorriso perfeito demais pra se manter escondido. Parece que quanto mais ele se aproximava, mais seu coração palpitava, parecia que ia sair pela boca, ele sem muito o que falar, pergunta o que estava acontecendo de errado. Ela ao ver ele se aproximando se segura para não chorar, suas mãos começam a tremer.. ela ouve sua voz, que parece soar como melodia naquele momento. Ela mesmo sabendo que não adiantaria de nada, contou o motivo de sua angústia, ela não teria nada a perder mesmo… Ele sem jeito, logo disse, eu também não aguento mais segurar esse sentimento dentro de mim, eu preciso te mostrar algo (..) ele tira um papel meio amassado do bolso e entrega a ela. Ela ouvindo aquelas palavras, parece passar um filme em sua mente, será mesmo que ele a amava? Ela em um impulso, tirando de si uma coragem que nem ela sabia existir pergunta. ” Você me ama? ” Ele, com um sorriso no rosto parecia responder aquela pergunta que tanto os angustiava, com muita certeza disse “sim” , naquele momento nenhuma reação surgiu, as mãos estavam suando, e aquela vontade de se beijarem parece que foi ficando cada vez maior, eles se aproximaram, e seus lábios se tocaram, e os dois não queriam que aquele momento acabasse nunca, o primeiro beijo, aquele sonho tinha se tornado realidade, o tão sonhado encontro de dois corações que só queriam ser amados.”

“Eu disfarço muito e quase ninguém percebe. Tem um monte de gente por aí que acha que me conhece o suficiente. Outros tantos acham que sabem o bastante sobre a minha vida. Entra no meu mundinho quem eu deixo. Acho que a gente não deve escancarar a vida, tem coisa que é só nossa e de mais ninguém. Quanto mais a gente dá liberdade para os outros mais eles se sentem no direito de se intrometer e meter o bedelho. Não gosto, pois da minha vida cuido eu.”
~ Clarissa Corrêa (via overdose-de-textos)

Distração. Sabe quando você não consegue fazer nada? Quando você precisa estudar, dormir, ou fazer alguma outra necessidade e não consegue? Quando você não consegue nem comer direito por causa de algo? Quando seu único pensamento e desejo se resume a uma coisa só? É assim que me sinto em questão à você… Distraído.

“De alguma forma você sentirá minha falta, não que seja da mesma falta que eu talvez sinta de você, mas de alguma forma eu temo que sim. Não foi atoa que eu depositei tanto tempo em algo para acabar sem nada, e sem marcar algo na memória, e mesmo que você volte a atormentar dizendo infinitamente que não vai, eu sei que sim. De alguma forma eu sei que mesmo você negando, eu mexi com você, e você mexeu comigo. E esse é o texto do nosso fim tão esperado por você. Boa sorte, boa vida, e lhe desejo uma maré de lembranças de mim.”
~ Mark Hr. (via terminar)